terça-feira, 15 de agosto de 2006

O Regresso

Estou em falta com todos os que visitam este modesto blog, desde já peço desculpas porque cheguei na segunda passada e não escrevi nada de novo muito menos sobre a viagem e estadia em Taizé.
Confesso que não escrevi nada porque ando a pensar no que iria escrever, como diz o meu amigo Filipe é difícil "explicar aquilo que não és explicável" como é falar da Fé e daquilo que se vive em Taizé.
Mas vou tentar fazer o meu resumo de Taizé.
A vida em Taizé é muito simples então dormi numa tenda, por motivos meteorológicos fomos quase todos "obrigados" a mudar para a tenda comunitária, grande festa!!
O espírito de grupo foi muito bem vivido, conheci pessoas novas (muito fixes), fiz novos amigos e deu para conhecer melhor os antigos, fortalecer Amizades é um grande acontecimento e sem duvida foi o melhor da viagem.
Em Taizé nessa semana estiveram cerca de 4 mil pessoas, mas a organização é tanta e boa que não se sentiu que éramos assim tantos, porque não nos faltou nada e tudo era a horas.
Enfim não entrando em muitos pormenores posso dizer que o meu trabalho comunitário foi limpezas de WC, éramos uma óptima equipa, a todos muito obrigado pelos bons momentos de trabalho (os tugas sabem trabalhar muito bem em conjunto).
Então o importante de Taizé sem dúvida é as orações comunitárias às de manha, antes do almoço e depois do jantar, tratam-se de cânticos intervalados com silêncio (momentos de Paz e tranquilidade, reflexão interior).
Não posso deixar passar em branco os momentos das refeições, sem duvida os portugueses negociam muito à mesa. Já ouviram falar em ração de guerra então é parecido às refeições de lá. =) A colhere é o único talher utilizado e sem duvida é muito bom.
Enfim acho que está tudo só faltou falar dos momentos de reflexão com o irmão da comunidade sobre a carta por acabar do irmão Roger e depois os pequenos grupos de reflexão a troca de ideias, é sempre bom trocar ideias especialmente com pessoas de outros países.
Deixo para ouvirem uma das músicas que mais me tocou em Taizé, (eu gosto muito da minha língua então aqui no blog fica assim), realmente é uma grande verdade Deus é Amor e temos que nos atrever a viver por esse Amor...
Acabo esta postagem a dizer uma coisa que se calhar pode chocar alguns mas "quem diz a verdade não merece castigo" aqui vai eu infelizmente cheguei muito vazia de Taizé, vazia de conteúdo, talvez não o tenha vivido a 100% mas se Deus quiser espero lá voltar para aprofundar esse espírito.
Espero que tenham ficado esclarecidos alguma duvida é só dizer. Algumas fotos estão no meu hi5.

2 comentários:

FNL disse...

Deus é Amor e tudo o que seja menos não o é. Além disso, Deus chama cada um de nós, não a humanidade no seu conjunto, mas cada um de nós. É mais difícil aceitar um chamamento pessoal do que um colectivo. Não é Deus que nos impõe o seu amor, nós é que o temos de aceitar.
Comprovei, em Taizé, que a humanidade está tão apegada ao mundo supérfluo que se esqueceu do essencial.
Em Taizé só vivíamos com o essencial.
O que é o essencial?
Aceitar Deus ao nosso lado.
O que de certa maneira assustou muita gente.

JG. disse...

Pois, pois...

Há quem ande na Terra à procura de salvação e não perceba os pequenos milagres que sucedem à nossa beira!

O segredo está na simplicidade e na transparência, em procurarmos a nossa riqueza entre os pobres, em procurar dar um novo passo em cada dia e fazer feliz quem nos rodeia...

Espero que tenham aproveitado bem estes dias, mesmo sem a presença física do Ir. Roger, porque Taizé inclui todos estes ingredientes e pode ser o fermento das nossas vidas!