sábado, 17 de junho de 2006

A galinha e as penas

Ando sem tempo para actualizar o blog, mas perdido por 100 perdido por 1000, aqui vai mais um texto para reflectirem...Este também tem dedicatória, para o Ricardo e para o Bruno, apesar de já terem feito anos a algum tempo, fica aqui registado que vos desejo muita sorte...e que o Senhor os acompanha!!!!
O conto de hoje para mim é uma grande lição, por vezes e infelizmente dou por mim neste grande problema, mas na vida temos que tentar controlar os defeitos e os pecados, por isso... não somos Santos, mas temos a meta de para lá caminhar...

A Galinha e as Penas
Um dia, foi confessar-se uma mulher que murmurava muito. O confessor, depois de a escutar, disse-lhe:
- Como penitência, pegue numa galinha e percorra todas as ruas do bairro, arrancando lentamente as penas e soltando-as ao vento pouco a pouco. Depois venha ter comigo.
A mulher obedeceu. Passou pelas ruas a depenar a galinha e a atirar com as penas ao vento. Em seguida, foi ter com o confessor, como este lhe tinha pedido. O padre disse-lhe:
- A penitência ainda não acabou. Agora deve passar de novo pelas ruas, a fim de recolher todas as penas que espalhou.
A mulher observou imediatamente:
- Senhor padre, é impossível apanhá-las.
O sacerdote concluiu:
- É para ficar a saber o que é a murmuração.
Quando se murmura de alguém, as palavras que se dizem já ninguém as pode apanhar. Já prejudicaram a pessoa.
Comentário
A murmuração existe em todos os ambientes. Facilmente abrimos a boca para deitar cá para fora palavras que são julgamentos. Julgam-se as pessoas com toda a facilidade e também com toda a crueldade. Não julguemos que nós somos os bons e os outros são os maus.

2 comentários:

Pekenita felix disse...

Oi, miga! Xá xtou eu de novo a comentar os teus posts.
O post d hj aplica-se a todos nós, sim pk todos nós intencionalmente ou ñ fazemos comentários dos outros e sobre os outros.
A penitência que o padre deu à senhora foi a melhor penitência que lhe poderia ter dado, pois só assim ela reparou no mal que fazia habitualmente.Para quê murmurar a vida, as atitudes dos outros se mts vezes ñ damos konta da nossa? antes de nos preocuparmos k a vida dos outros preocupemo-nos k a nossa e só kd a nossa xtiver resolvida e bem resolvida é que vamox olhar para a do próximo.
vamos tentar ñ murmurar sobre nunguém, dizer akilo k se tiver a dizer na cara da pessoa em frente à pessoa.Vamos tentar melhor as nossas atitudes e valores todos mas todos nós.
Desculpa miga hj ñ tava c mt cabeça, Xau bjx

Cácá disse...

Nós somos como a galinha referida no post, e as nossas palavras como as suas penas, que kando soltas jamais se consegiram apanhar.
Nós temos facilidade em julgar as outras pexoas, julgamentos exes k poderam vir a projudicar kem é julgado. kando murmuram, julgam-nos as nós proprios, ficamos xateados, pk por vezes as pexoas k nos julgam nem nos conhecem.Por ixo nao vamos fazer o k nao gostamos k nos façam a nos, isto é, nao vamos julgar as outras pexoas, pk por vezes podemos estar errados em relaçao a exa mesma pexoa.
Mesmo conhecendo kem estamos a julgar, é incorreto, pk devemos amar todos de igual modo, sejam eles inimigos ou amigos, e nao devemos kerer mal.

bjxxxx